Landing Pages: o que são e como criar?

Hoje em dia, já não deve existir empresário ou gestor que não entenda a importância do marketing digital, mas nem por isso todos sabem o que exatamente fazer ou priorizar. Uma dica de ouro é a da landing page, que pode trazer resultados incríveis.

De fato, algumas pessoas que costumam comprar pela internet já devem até mesmo ter visitado várias páginas dessas, mas sem se dar conta de que era uma landing page. Ou mesmo sem compreender a fundo seu funcionamento estratégico.

Por exemplo, se você recebeu por e-mail um link de uma escola ou mesmo uma assistência técnica de cursos de manutenção de iphone com conteúdo promocional, sem menus, banners ou dispersões, provavelmente era um landing page.

Ou seja, a página falava apenas do curso, mostrando as vantagens dele e como esses mesmos benefícios podem vir a beneficiar você enquanto aluno. Depois, já apresentava as opções de pagamento e chamava para a compra.

É possível dizer isso pois as landing pages seguem uma estruturação praticamente fixa. Alguns podem ver isso com maus olhos e achar que é algo que empobrece, mas é justamente o contrário, pois nisso reside sua força e a genialidade da estratégia.

Basta considerarmos o quanto a página de entrada de um marketplace ou mesmo de uma rede social pode ser dispersante no sentido comercial do termo. Elas servem para sua finalidade, mas essa não é a de beneficiar uma marca apenas, infelizmente.

Então, quando uma empresa de decoração para restaurantes amadurece em sua comunicação e em suas estratégias digitais, é sinal de que já está na hora de investir nesse recurso que pode trazer um retorno bem diferenciado.

Além disso, a landing page não serve apenas para levar à compra ou para o cliente passar o cartão de crédito, seria um erro reduzi-la a isso. Na verdade, outro diferencial é justamente essa sua diversidade de propósitos e finalidades.

Por exemplo, ela pode ajudar na captação de leads, ou no avanço deles para o estágio de prospect após a realização de uma pesquisa customizada. Isso também é fundamental e acaba cobrindo o funil de vendas completo de qualquer negócio.

Pela mesma razão é que decidimos elaborar este material, explicando não apenas o que são as landing pages, mas também sua importância, os conceitos fundamentais e, por fim, os 4 passos essenciais e mais diferenciados para criar a sua própria estratégia.

Um ponto interessante que merece destaque é justamente o fato de que hoje essa tática já evoluiu tanto e foi tão testada, que ela pode ajudar qualquer modelo de negócio, desde grandes indústrias até lojas que vendem sacolas personalizadas.

Deste modo, se o seu interesse enquanto leitor ou leitora é mergulhar de cabeça em uma estratégia relativamente simples que pode oxigenar consideravelmente seu comercial, acelerando também o funil de vendas, basta ir até o fim da leitura.

O que é landing page e por que importa?

Até aqui já ficou mais ou menos claro do que se trata e por que motivo as landing pages são tão importantes. Mas é preciso conceituar um pouco esses pontos, até como modo de tornar as dicas práticas mais consistentes e aproveitáveis.

A começar, por exemplo, pelas traduções que são mais comuns no Brasil: alguns dizem que a landing page é uma página de aterrissagem, outros que é uma página de conversão, outros ainda que é uma página de destino.

Em todo caso, cada uma das definições expressa um aspecto fundamental da estratégia. Já que ela realmente tem esse perfil de “destino”, pois sempre será acessada por meio de um link.

Além do perfil de aterrissagem, no sentido de que ela encaminha e direciona para um conteúdo específico, evitando as distrações que poderiam existir na home do website da empresa.

Por fim, ela é uma página de conversão no sentido de que uma empresa de embalagem personalizada que coloque no ar uma landing page está buscando algo. O que, como vimos acima, pode ir desde captação de leads até vendas promocionais.

De modo ilustrativo, podemos dizer que os elementos constituintes de uma boa landing page podem oscilar entre os seguintes fatores, a depender de cada estratégia ou enfoque dado:

  • Fotos e/ou imagens;
  • Títulos e subtítulos (H1, H2, H3);
  • Descrição da ação desejada;
  • CTA (Call to Action);
  • Formulário de preenchimento;
  • Campo de feedbacks;
  • Campo de prova social;
  • Outros gatilhos mentais.

Enfim, são vários elementos e recursos que, no fundo, não são exclusivos de uma landing page, mas que sempre que bem aplicados nela podem fazer toda a diferença.

Com isso respondemos o que é essa estratégia, sendo que sua importância está, além do fato de tudo o que já dissemos, na questão da concorrência.

Ou seja, é bem provável que seus concorrentes já estejam investindo nessa estratégia, de modo que ficar para trás seria algo imperdoável, sobretudo perante o público.

Então, vamos colocar em prática as dicas e conselhos que seguem, não apenas para corrigir eventualmente uma situação dessas, como também para fortificar a marca e aumentar as taxas de conversão da empresa.

1. Entenda que o “conteúdo é rei”

Uma das maiores vantagens e um dos aspectos mais marcantes da landing page é o fato de que ela pode ter vários recursos visuais, e precisa mesmo contar com isso, mas sua essência continua sendo o conteúdo, ou seja, o discurso de venda.

É claro que ele pode ser escrito ou colocado em multimídias, como vídeos e áudios. Mas a verdade é que mesmo nesses casos você precisará de um script, de modo que podemos afirmar com tranquilidade que o primeiro passo é sentar e escrever algo.

Por isso, se os sócios ou donos de uma fábrica de uniformes bordados puder ajudar na construção da landing page, será muito melhor.

Afinal, afirmar que o “conteúdo é rei” equivale a dizer que a grande eficiência da estratégia está nos títulos, subtítulos e demais conteúdos. Ou seja, na ideia que está sendo transmitida ali, como promessa de uma solução.

Inclusive, hoje as maiores marcas do mundo já não vendem um produto ou serviço, mas uma solução memorável, mais ou menos como uma experiência completa. Então, é algo assim que precisa ser vendido na landing page, seja qual for o CTA que ela faz.

2. O poder do storytelling

Se o conteúdo é rei, nada melhor para ordená-lo do que uma estratégia como a do storytelling, que consiste em “contar uma história”. Ou seja, em organizar seus argumentos e sua proposta por meio de uma estrutura narrativa.

Hoje em dia se fala muito do mito do herói, que consiste no fato de que ninguém se torna herói ou bem-sucedido sem passar por alguns estágios universais, como a ajuda de um mentor, grandes desafios e, só no fim, o sucesso merecido.

Assim, uma empresa que aluga espaços compartilhados, cujo foco recai sobre marcas que geralmente estão tentando crescer e conquistar seu espaço, pode simplesmente usar o storytelling de cases de sucesso para sua landing page ficar mais atrativa.

Aqui, o poder de contar histórias funciona mais ou menos como um gatilho mental e emocional, que gera conexões incríveis com o público e aumenta os resultados.

3. A importância do design

Depois de falar do conteúdo como texto, artigo ou mesmo script, é preciso lembrar que a internet nos aproxima, mas também nos afasta das pessoas, que estão a quilômetros de distância.

Por isso, a apresentação e a aparência são muito importantes, o que no caso da landing page se traduz em templates, imagens, fotos e, claro, o diferencial da identidade visual.

Isso quer dizer que uma marca de controle de acesso precisa definir uma paleta principal de cores, para que o aspecto visual fique harmonizado. Depois, até as formas e a tipografia da landing page precisam ser pré-definidas.

Assim, mesmo que seu público não seja da área de design, é claro que ele vai acabar percebendo que seu material é bem mais profissional que boa parte do mercado.

4. Pense na divulgação

É verdade que a landing page é incrível para converter seu público, tanto que pode ser aplicada a qualquer etapa do funil de vendas, das mais simples às mais desafiadoras.

Contudo, é preciso pensar estrategicamente em relação ao posicionamento da própria landing page, que se tiver destaque nos motores de busca, trará bem mais resultados.

Assim, quando o cliente em potencial escrever poltronas para escritório, ele encontrará sua página. Para isso, é preciso investir em link patrocinado, dominando o topo dos motores de busca, mas também em SEO.

Sigla para Search Engine Optimization (Otimização de Páginas para Motores de Busca), o que esse recurso faz é ranquear sua landing page para que ela domine a seção orgânica das páginas de resultado, fechando assim um círculo estratégico perfeito.

Considerações finais

O mercado enfrenta uma de suas maiores fases de concorrência e competitividade, então é imprescindível saber como se destacar.

Com os passos diferenciados que trouxemos aqui, você cria sua landing page de modo bem mais estratégico, seguro e promissor, conseguindo os melhores resultados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.