O que é DNA da marca? Confira suas características

Em algum momento, você certamente já ouviu falar sobre DNA da marca. Diferentemente do que muitas pessoas acreditam, uma organização não é composta apenas por sua imagem, mas também pela maneira como o público a percebe.

Também não podemos nos esquecer de que uma marca é composta pelo valor que o consumidor agrega ao seu produto ou serviço e, por essa razão, ela é formada por um conjunto de características essenciais em sua composição.

Diante disso, é correto afirmar que o DNA da marca é fundamental para que a empresa se posicione de maneira positiva diante da concorrência e seja capaz de transmitir uma imagem imponente aos consumidores.

Mas, para que isso aconteça, é fundamental que sua identificação ocorra de maneira estratégica, mas muitos gestores, principalmente os que estão começando agora, não conseguem compreender a importância desse aspecto.

Se você também tem dúvidas em relação a esse assunto, não deixe de conferir este artigo até o final. Vamos explicar o conceito de DNA de marca, porque ela precisa ser desenvolvida, além de dar algumas dicas para fazer isso.

Dessa forma, é possível estruturar melhor o seu negócio no mercado, atrair um número maior de clientes e melhorar os lucros.

DNA da marca: do que se trata?

Dentro da biologia, o DNA nada mais é do que um conjunto de informações genéticas que coordenam o funcionamento e o desenvolvimento dos seres vivos, e é por meio dessa função que as hereditariedades são transmitidas.

Entretanto, dentro do universo corporativo, o DNA da marca se refere à essência do empreendimento. Em outras palavras, ela engloba os aspectos que compõem a organização, como:

  • Estratégias de marketing;
  • Tom de voz;
  • Linguagem utilizada;
  • Comunicação visual;
  • Imagem da empresa.

Até mesmo a arquitetura corporativa de um estabelecimento pode ajudar a construir o DNA da marca, e é a partir disso que começamos a compreender sua importância.

Por que desenvolver o DNA da marca?

O DNA de uma marca está muito além das estratégias que uma empresa utiliza para se promover. Na verdade, estamos falando de um conceito que cria tendências de consumo e pode até mesmo ditar regras no mercado.

Ou seja, é preciso parar para pensar o que leva os consumidores a escolherem um produto em detrimento de outro ou uma empresa em oposição à outra.

No momento da escolha, as pessoas não consideram apenas a qualidade da mercadoria ou do serviço, embora isso seja fundamental.

Pense, por exemplo, nas marcas mais famosas que você conhece, principalmente aquelas que são consideradas as mais caras. Geralmente, além do produto, elas oferecem um valor, como status.

Grandes corporações definem bem o seu DNA, por exemplo, uma empresa de locação de espaços comerciais, que assim como muitas outras marcas fortes, não precisa mais se esforçar para atrair a atenção do consumidor.

A partir do momento em que a organização conhece seu próprio DNA, reúne todas as características que precisa para entregar valor ao cliente.

Quando as pessoas se identificam com a imagem que determinada marca representa, elas acabam por promovê-la e fortalecer seu posicionamento no mercado.

Definir o DNA da sua marca é ir muito além de buscar apenas lucros. Isso envolve sentimento e paixão pelo que é feito, orientando a existência da empresa.

Naturalmente, seus valores ficam nítidos, tanto para os colaboradores quanto para os consumidores. Com isso, todas as estratégias de comunicação são mais efetivas e transparentes.

A corporação gera impactos positivos nos consumidores, mas também em seus colaboradores. Por mais patrimônios que uma empresa reúna, é fundamental que ela valorize as pessoas.

Equipes engajadas buscam o sucesso, e a partir do momento em que a organização trabalha seu DNA, desenvolve seus times e faz com que seus funcionários se sintam pertencentes a ela.

Assim, uma empresa especializada em divisórias sente uma melhora contínua em seu planejamento, pois sabe onde quer chegar, quais são seus valores e sua vocação.

Essas informações facilitam o planejamento e as tomadas de decisões, dois aspectos fundamentais no dia a dia da companhia.

Sem falar no fato de que o DNA também possibilita o alinhamento entre as ações por meio de estratégias transparentes, eficientes e assertivas.

Caso ainda não tenha parado para pensar qual é o diferencial do seu negócio, durante o processo de estruturação do DNA, é possível descobrir atributos que a sua marca possui e o que ela pode fazer para se destacar.

Os diferenciais são importantes porque, além de garantirem o posicionamento da organização, também constroem argumentos valiosos que aumentam as vendas dos produtos e serviços.

Contudo, uma marca de aluguel de impressora só consegue estabelecer seu diferencial por meio de uma reflexão profunda, que acontece ao desenvolver seu DNA.

Entrando neste assunto, no próximo tópico, vamos mostrar como você pode definir o DNA da sua empresa..

Como desenvolver o DNA do meu negócio?

Para aproveitar todos os benefícios do DNA da marca, é fundamental saber como estabelecê-lo, e algumas dicas para isso são:

1 – Saber quem é seu público-alvo

Tendo como base sua estratégia de negócio, procure definir um segmento de consumidor para quem vai direcionar as estratégias de marketing e vendas.

Para isso, é fundamental saber quais são seus hábitos de consumo da audiência e outras informações, como dados demográficos, comportamento e preferências.

2 – Criar a persona do negócio

Depois de fazer um levantamento sobre o seu público-alvo, a empresa já tem informações suficientes para começar a criar a persona.

Esta é a representação semifictícia do seu cliente ideal, reunindo informações prevalecentes entre seus principais clientes, no que diz respeito à idade, gênero, profissão, estado civil, problemas, objetivos, necessidades, entre outros.

Uma mesma empresa pode ter várias personas, visto que nem sempre vende apenas para um único perfil de cliente.

Independentemente disso, se um escritório de consultoria de engenharia levantar essas informações, consegue compreender melhor o perfil e o comportamento de seus consumidores.

É o melhor caminho para criar uma marca mais assertiva e possibilitar que o consumidor se identifique com ela.

3 – Trabalhar a personalidade da marca

Agora que você já sabe quem compra com a sua empresa, o que compra e as razões que levam à aquisição, fica mais fácil criar uma marca assertiva e de sucesso.

Todos esses conceitos devem ser retratados por meio dos elementos da marca, como no caso do nome e do logotipo. No entanto, antes disso, você precisa saber qual é a personalidade da companhia.

Trata-se de um conjunto de características humanas que podem ser associadas ao negócio, a exemplo de algumas marcas que transmitem uma sensação de acolhimento ou de alegria, por exemplo.

A personalidade pode estar presente em embalagens personalizadas e outras ações, pois isso ajuda a personalizar os valores e criar conexões emocionais com o público.

4 – Ter uma proposta de valor

A proposta de valor nada mais é do que a experiência do cliente ao se relacionar com a companhia. Mas ela vai muito além de atributos, benefícios e diferenciais.

Uma vez que o público define quem consome os produtos oferecidos pelo seu negócio e o posicionamento define o que ele consome, a proposta de valor apresenta razões para fazer essa escolha.

5 – Criar um logotipo

Uma empresa de guarda móveis, assim como muitas outras marcas conhecidas no mercado, procura criar um logotipo que faça com que ela seja lembrada e diferenciada no mercado em que atua.

Pense, por exemplo, nos logotipos das empresas mais famosas que você conhece. Todos eles contam com elementos fundamentais, como cores, formas, tipografia e símbolos.

Diversas marcas utilizam apenas os símbolos, outras utilizam apenas a tipografia, entre outras possibilidades. Independentemente de qual seja o estilo do logo da sua marca, ele precisa ser bem pensado para marcar o público e o mercado.

6 – Escolher o nome da sua marca

O nome é ainda mais importante do que o logotipo, porque é o primeiro elemento que vai marcar a lembrança do consumidor.

É necessário que ele faça associações fortes, exclusivas e favoráveis com tudo aquilo que você já estabeleceu para a sua marca até o momento.

Uma dica é fazer como um fabricante de tags adesivas e optar por nomes curtos, de fácil escrita e pronúncia. Contudo, antes de lançar a sua marca no mercado, faça um teste de conceito do nome junto com o logotipo.

Conclusão

O consumidor moderno não confia em qualquer empresa, mas prioriza aquela que transparece sua visão e sua cultura, elementos estes que ajudam a construir o DNA da marca.

Todas as características da corporação precisam ser expostas aos consumidores, de maneira transparente, para atraí-los e criar uma conexão emocional.

Neste artigo, você entendeu um pouco mais sobre esse assunto e como criar um bom DNA de marca para o seu negócio.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.