HTML: tudo o que você precisa saber!

HTML

HTML é uma linguagem de computador que está presente na maioria das páginas da internet e dos aplicativos que usamos no cotidiano.

O papel do hipertexto é fazer referência a outros textos, ao passo que a linguagem de marcação forma uma série de marcações que mostram aos servidores o tipo de estrutura do documento.

HTML não pode ser considerado uma linguagem de programação, pois pode criar funcionalidades dinâmicas, contudo, ajuda a criar e estruturar vários elementos, como seções e parágrafos, por meio de tags e atributos.

Costuma ser usado no desenvolvimento web, para projetar de que maneira o navegador vai exibir os elementos da página; para navegação na internet, onde o usuário pode inserir links entre as páginas, e para documentação, organizando e formatando documentos.

Hoje em dia, o padrão HTML é considerado como oficial da internet, tanto que o World Wide Web (W3C) desenvolve especificações e atualizações regularmente.

Essa linguagem de computador está presente em nosso dia a dia, mas poucas pessoas, de fato, a conhecem.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o conceito de HTML, como ela funciona e os elementos mais utilizados. Confira.

O que é e como funciona o HTML?

HTML é uma sigla para (Linguagem de Marcação de Hipertexto), e como falamos anteriormente, é uma linguagem de computador que faz parte da maioria das páginas que existem na internet atualmente, inclusive dos aplicativos.

Só que além de entender seu conceito, é fundamental entender como esse recurso funciona. Um site pode usar diversas páginas HTML diferentes, como:

  • Página inicial;
  • Página “sobre nós”;
  • Página “contatos”;
  • Página “trabalhe conosco”.

Cada uma delas possui um arquivo HTML, ou seja, documentos que terminam com a extensão .html ou .htm.

O navegador lê o arquivo de uma lavanderia de uniformes industriais e renderiza o conteúdo, pois assim os usuários poderão vê-lo.

As páginas nesse formato possuem diferentes elementos que formam um conjunto de atributos e tags, e os elementos HTML são os responsáveis por construir a página da internet.

A tag diz para o navegador onde o elemento começa, ao passo que o atributo mostra todas as características desse elemento.

Ele é dividido em 3 partes, sendo a tag de abertura, que mostra onde o elemento começa a fazer efeito, e costuma ser cercada de colchetes para abertura e fechamento.

Outra parte é o conteúdo, que é tudo aquilo que é visualizado pelos usuários; por fim, a tag de fechamento é semelhante à tag de abertura, mas possui uma barra antes do nome do elemento.

Para entender, ao acessar o site de um fabricante de regador pequeno, o usuário verá o seguinte elemento HTML <p> nome da empresa. </p>.

Outra parte importante do elemento HTML é o atributo formado por duas seções, sendo estas o nome e o valor do atributo.

A função do nome é identificar a informação adicional que o usuário quer acrescentar, enquanto o valor de atributo traz outras especificações.

A classe HTML é importante para a programação e o desenvolvimento, pois adiciona informações que funcionam em elementos diferentes, mantendo o mesmo valor de classe.

Boa parte dos elementos é constituído por uma tag de abertura e outra de fechamento, mas alguns não precisam que ela seja fechada para funcionar, como no caso dos elementos vazios, pois não possuem conteúdo.

A tag de imagem possui 2 atributos, sendo um SRC e outro ALT. O SRC se refere ao caminho da imagem, enquanto o ALT se refere ao texto de descrição, mas esse elemento não possui uma tag de fechamento e não tem conteúdo.

Cada documento em formato HTML possui uma declaração, depois com isso informa ao navegador o tipo de documento que está acessando.

Elementos e tags mais utilizados

Para criar as páginas de uma empresa de lavagem a seco de tapetes, existem 142 tags HTML que ajudam a criar uma grande quantidade de elementos diversos.

Inclusive, se o navegador é muito moderno e não suporta alguma tag, o desenvolvedor pode aprender sobre elementos diferentes e que estão disponíveis.

Existem os elementos bloco que se referem à largura de uma página, iniciando uma nova linha no documento. Como exemplo disso temos um cabeçalho que está em uma linha diferente em um elemento gráfico.

As tags mais usadas são: HTML, onde o elemento define todo o documento, HEAD, que possui metadados em relação à codificação de caracteres e ao título, e a BODY, que diz respeito a todo o conteúdo visível na página.

Mas, essas não são as únicas, pois na hora de construir o site de uma empresa de aluguel light sheer, pode-se usar tag de cabeçalho, que pode ser h1 e h6, sendo de um tamanho maior que pode diminuir até o h6.

Outra opção são as tags de parágrafo, que costumam ser abertas, além das tags de listas, que podem ser compostas por diferentes variações.

Por exemplo, a tag <ol> é usada para criar uma lista ordenada e a <ul> para uma lista que não possui ordem definida.

Quanto aos elementos, os elementos em linha correspondem ao conteúdo interno de elementos de bloco, o que inclui a inserção de links ou linhas em ênfase.

Esses elementos também costumam ser usados para formatar o texto, sem prejudicar o fluxo de conteúdo.

Para entender o que isso significa, a tag <strong> permite que o elemento seja renderizado em negrito, enquanto isso, a tag <em> serve para que o texto apareça em Itálico.

Os hiperlinks são elementos que usam a tag <a>, além de um atributo href para indicar o destino do link.

Conhecendo a história

O HTML foi criado pelo físico Tim Berners-Lee, que na época atuava no centro de pesquisas suíço CERN. Inicialmente, a ideia era criar um sistema de hipertexto na internet.

Uma empresa de revestimento cerâmico antigo pode criar suas páginas porque o hipertexto é um texto que possui referências para outros e que podem ser acessados facilmente.

A primeira versão HTML foi publicada em 1991 é formada por 18 tags, atualmente, cada versão desta linguagem de computador possui tags diferentes e atributos distintos.

O fato é que ele se popularizou muito, e atualmente é considerado o padrão oficial da internet. Sua maior evolução foi o lançamento do HTML5, no ano de 2014, que possui tags semânticas que mostram o significado do conteúdo,

Por falar nisso, é interessante entender a diferença entre HTML e HTML5, pois se trata de uma evolução. Desde que ele foi lançado, evolui constantemente e marcas históricas recebem nomes dedicados.

As páginas de uma empresa de serviço motorista particular podem usar o HTML 4, publicado em 1999, ao passo que o mais recente foi lançado em 2014 isso a atualização trouxe recursos diferentes para a linguagem.

Entre os profissionais da área, o recurso mais aguardado era a incorporação de vídeos e arquivos de áudio, que dispensam a necessidade de utilizar Flash player.

Sendo assim, atualmente, é possível incorporar áudios e vídeos com novas tags, e o usuário também conta com compatibilidade com SVG e MathML usados para estruturar fórmulas científicas e matemáticas.

Este HTML também trouxe mudanças semânticas que informam navegador sobre o significado do conteúdo, tendo como objetivo auxiliar os mecanismos de busca e os próprios usuários, como um estúdio de gravação gospel.

Dentre as tags semânticas mais usadas estão “article”, “section”, “footer”, “aside”. Mas, independentemente do tipo de tag utilizada, usar a linguagem HTML traz muitas vantagens para os donos de páginas na internet.

Trata-se de uma linguagem amplamente utilizada e que pode ser aplicada com diferentes recursos, além de possuir uma comunidade de usuários muito grande.

Também funciona em todo tipo de navegador, é de fácil aprendizado, totalmente gratuita e de código aberto, possui marcações limpas e consistentes e os padrões da internet são mantidos pelo W3C (World Wide Web).

As páginas HTML de um fabricante de espaço de trabalho compartilhado também serão facilmente integradas com diferentes linguagens de back-end, a exemplo do Node.js.

Mas, é importante lembrar que embora seja uma excelente linguagem, não é o suficiente para que o site seja responsivo e profissional.

Na verdade, o HTML é usado para inserir elementos de texto e criar estruturas de conteúdo, mas ele funciona muito bem com outras linguagens, como o JavaScript.

Ao trabalharem juntos, eles conseguem implementar funcionalidades, além de garantirem uma excelente experiência aos visitantes.

Considerações finais

Sendo assim, o HTML é, atualmente, a principal linguagem de programação da internet e suas páginas possuem vários elementos que ajudam a estruturar os conteúdos, da mesma forma como acontece com os aplicativos.

Também é a melhor opção para quem está começando agora, visto que oferece suporte e pode ser usada em páginas estáticas, mas seu uso com JavaScript garante um funcionamento muito melhor.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.